m
ARTIGOS, EVENTOS & NOTÍCIAS

Academia Imoto

O PROBLEMA

Oferecer um treinamento marcial fraco e diluído para as MULHERES — que são justamente as que mais necessitam aprender a se proteger — é um insulto ao potencial de capacidade física delas.

Antes da gravação da primeira videoaula do curso, mostrei alguns vídeos com cenas de violência contra as mulheres para o cinegrafista. Um deles é de uma câmera de circuito interno que captou uma jovem sendo covardemente espancada de surpresa na rua por um estranho a noite. Termina com a vítima sendo arrastada inconsciente para fora do alcance da câmera.

Em outro vídeo, uma fiscal de trânsito recebe um tapa e um chute no rosto do motorista contrariado com a multa. Agressão em plena luz do dia, a agente cercada por pessoas.

Todas as imagens são revoltantes e decidimos não colocar no curso. Mas serviram para a equipe de gravação entender a seriedade do assunto.

As mulheres estão sendo agredidas, molestadas e assassinadas nas calçadas, nos escritórios, nas universidades, dentro de casa…

E na maioria dos cursos e treinamentos de suposta defesa pessoal oferecidos a elas falta conhecimento técnico da realidade da violência e de como o corpo humano se move nessas situações. O que se vê em 99% destes cursos são demonstrações ensaiadas de coreografias de ação dignas de um filme B! Chaves de braço e estrangulamentos mirabolantes que lutadores profissionais teriam dificuldade de “encaixar” e muito discurso supérfluo repetindo estatísticas e números sem nome e rosto. O marketing inescrupuloso destes cursos gera uma falsa e perigosa sensação de segurança em muitas mulheres. Em outras aumenta o medo irracional e a descrença em aprender a se defender.

E todos saem perdendo no final…

 

A RAZÃO

Sou fascinado pelas artes marciais desde os anos 1980. Incentivado pelo meu pai, grande fã dos filmes de Kung-Fu, comecei a colecionar livros e revistas especializadas em lutas. Em 1990 encontrei um instrutor de kickboxing com o qual iniciei minha jornada marcial aos 18 anos. Posteriormente pratiquei o Aikido e o Tai Chi Chuan, entre outros estilos e sistemas japoneses e chineses. Também experimentei a Capoeira, o Jiu-Jitsu, o Muay Thai e o Boxe. No total foram onze modalidades de combate, tanto orientais quanto ocidentais.

E nenhuma delas foram originalmente desenvolvidas para as mulheres.

Todas as escolas de artes marciais clássicas eram “patriarcais”, apenas homens podiam herdar e transmitir o sistema de treinamento. Algumas mulheres eram toleradas como discípulas mas a condição feminina na época não lhes permitia ser reconhecidas como mestras.

Qualquer semelhança com a lenda da guerreira Mulan não é mera coincidência: nas sociedades antigas o primeiro filho homem era o sucessor legítimo. E naquele mundo secretista das artes marciais ser a filha única de um mestre não significava que seria sua herdeira.

Houve lutas mistas na Europa medieval e séculos depois no Vale-Tudo moderno.

Em nenhum daqueles combates e ainda que lhes fossem concedidas vantagens elas eram capazes de derrotar os homens.

As exceções confirmavam a regra.

O motivo é fisiológico.

O corpo feminino é de 30 a 40% muscularmente mais fraco do que o corpo masculino (saiba mais neste artigo interessante da BBC).
Alavancas, rapidez e flexibilidade lhes ajudavam, mas também aos homens que dispunham dessas mesmas qualidades…
Facas e pistolas poderiam ser a solução definitiva para elas, mas nem sempre estariam ao seu alcance…

Vale relembrar aqui as antigas mulheres samurai.

Elas estavam preparadas para lutar até a morte em defesa da sua família e lar na ausência do marido. Eram hábeis com alabarda, leques de ferro e outras armas escondidas como os palitos afiados que usavam para prender os cabelos. Com a decadência da classe samurai no final do século XIX e a modernização do Japão, a mulher japonesa foi desmotivada a preservar aquela tradição guerreira. E rapidamente a violência contra elas ressurgiu quando foram desarmadas e negligenciadas…

O predador adora ferir e matar. E detesta ser ferido e morto…
E nenhuma arte marcial desarmada do passado favorecia especialmente as mulheres.
Felizmente este cenário mudou em 1990.

 

A SOLUÇÃO

Nos EUA, um novo sistema de defesa pessoal criado em 1978 por um policial e perito forense de Nova Iorque foi se desenvolvendo a ponto de habilitar uma garota a ferir gravemente um lutador peso-pesado sem depender de armas. Nomeado como “Guided Chaos” nos anos 1990, este sistema continua sendo aprimorado pelo seu fundador, o Grande-Mestre John Perkins. Sua carreira na polícia em uma época em que a cidade de Nova Iorque foi considerada a capital mais violenta do mundo lhe revelou a verdade e a realidade das centenas de crimes de agressão seguida de assassinato que investigou.

Ele também observou que nas ruas e nas prisões, homens de menor estatura e força como ele eram vistos como meninas pelos marginais. E que não adiantava cultivar músculos grandes e extremo condicionamento corporal na esperança de disputar e vencer indivíduos naturalmente maiores, mais fortes e rápidos, traiçoeiros e sem escrúpulos.

Perkins entendeu que devia mudar urgentemente a sua abordagem das artes marciais depois que analisou o comportamento criminoso.

E uma das várias artes marciais que praticou, justamente de qualidade feminina, lhe mostrou o caminho: o Tai Chi Chuan ensinado pelo Mestre Waysun Liao lhe abriu os olhos para o que e como deveria treinar visando nivelar forças diante de um ou vários agressores.

Nascia a semente do que veio a se tornar o Guided Chaos.

 

MINHA ABORDAGEM

Conheci o Guided Chaos em 2004. Pratiquei como aluno de longa distância lendo o seu best-sellerAttack Proof”, consultando seus instrutores e assistindo seus DVDs. Eu sabia que para dar o Grande Salto eu precisaria treinar pessoalmente com o seu fundador.

Em 2014 visitei o quartel-general do Guided Chaos em Nova Iorque junto com a minha esposa Flávia. Naquele mesmo ano fui graduado pelo Grande-Mestre John Perkins na faixa preta e tive a honra de ser convidado a me tornar o primeiro representante do Guided Chaos no Brasil.

Na minha segunda viagem para Nova Iorque em 2017, Perkins me promoveu para o segundo grau na faixa preta. Retornei em 2018 para meu terceiro treinamento intensivo acompanhado por alguns alunos. Em 2019 organizamos o primeiro seminário internacional de Guided Chaos no Brasil com o Mestre-Sênior Al Ridenhor (hoje fundador do sistema Warrior Flow).

Graças a estes mestres, encontrei no Guided Chaos a fórmula para equalizar forças que faltava para as mulheres.

Era o elo perdido das artes marciais!

Sem ele, as mulheres continuariam em desvantagem em relação aos homens, e estes continuariam em desvantagem perante outros.

O segredo oculto à céu aberto era ser suave: a suavidade maleável do fio da espada.

E essa qualidade feminina, presente nos grandes mestres das artes marciais e preservada no ancestral Tai Chi Chuan, foi resgatada na jovem arte do Guided Chaos para se adaptar ao contexto dos novos tempos.

Quando o Boxe encontrou o Tai Chi, é a minha maneira de explicar o que o Guided Chaos significa para mim.

A partir deste entendimento o embrião da metodologia de ensino das artes marciais que eu vinha idealizando desde 2006 começou a cristalizar e a crescer.

Esta abordagem experimental que chamei de MÉTODO IMOTO é a minha didática de reeducação marcial do movimento inspirada no trabalho pioneiro de John Perkins e de outros mestres extraordinários. Com o MÉTODO IMOTO continuo aprofundando meus estudos e treinamento no Guided Chaos, no Tai Chi Chuan e no Boxe. Os frutos desta síntese estão neste meu primeiro curso online dedicado às mulheres.

O MÉTODO IMOTO é o meu laboratório de testes, meu estúdio de criação, onde conceitos esotéricos das artes marciais são desmistificados por meio de uma metodologia científica racional. Certas manobras que o Professor Jigoro Kano foi obrigado a proibir no Judô competitivo eu as adaptei exclusivamente para a autodefesa.

Com isso, no MÉTODO IMOTO as mulheres se tornaram igualmente letais.

 

A METODOLOGIA

No curso online MÉTODO IMOTO: A DEFESA PESSOAL DA NOVA MULHER SAMURAI apresentei pela primeira vez a minha metodologia completa de ensino e treinamento.

As manobras livres e criativas que eu e a instrutora-assistente Flávia demonstramos nas videoaulas são somente exemplos de ação com uma única função:

NEUTRALIZAR O AGRESSOR.

No lugar de decorar técnicas minhas alunas aprendem a transformar quaisquer movimentos em golpes. Tal habilidade requer antes de tudo a criação de um CORPO FECHADO na aluna.

No MÉTODO IMOTO nos movemos e lutamos com um CORPO FECHADO.

Este CORPO FECHADO surge quando praticamos uma série especial de exercícios de biotensegridade regidos por uma hipótese e uma teoria bem racionais e objetivas:

A HIPÓTESE: o corpo humano é uma estrutura articulada, movida por impulsos elétricos ativando a contração muscular, com a sua massa sendo puxada para o chão pela atração da gravidade (a medida dessa força é chamada de “peso”). Se um coco cai sobre a cabeça, há risco de concussão e morte. Imagine os danos que uma mulher de quarenta quilos atingindo vários alvos vitais simultaneamente com igual intensidade poderia causar…

A TEORIA: a luta real ocorre na curta distância, com os envolvidos próximos a ponto de facilitar agarramentos e dificultar golpes traumáticos pela falta de espaço. Como resolver este dilema? Simulando arcos atuando como molas, hélices torcendo em espiral e giroscópios esféricos com suas rotações e translações. E um corpo que arqueia, comprime, rotaciona e torce em diversos planos, movendo-se a favor e nas linhas de menor resistência, além de criar e ocupar espaço também acumula extrema quantidade de energia cinética de acordo com a física.

A gravidade sobre este corpo está sendo revertida no sentido oposto (Terceira Lei de Newton) pela força de reação ao solo. Podemos desperdiçar esta energia ou podemos concentrá-la e projetá-la no sentido e direção que intencionarmos. Quando a estrutura musculoesquelética recebe os impulsos neurais na ordem e sequência ideais para causar os efeitos cinéticos daqueles três formatos de armazenamento de poder (arco-mola, hélice e giroscópio), automaticamente se converte em um CORPO FECHADO. Qualquer outro corpo que ousar empurrar ou puxar este CORPO FECHADO sofrerá as consequências do EFEITO SINOMOTOR: será desequilibrado e danificado, com mínimo esforço e sem necessidade de técnicas memorizadas.

 

O EFEITO SINOMOTOR

“Sinomotor” (abreviação para Sinergia Ideomotora) é aquele controle voluntário e sutil dos micro movimentos musculares da propriocepção que nos mantém em pé e que usamos o tempo todo nas atividades mais corriqueiras como andar, se sentar, pegar um copo, escrever… Mas que você não sabia usar em um confronto físico devido ao conflito (caos) entre o intelecto (pensamento) e os estímulos emocionais (medo, repulsa, vergonha e raiva misturados) sobrecarregando o seu sistema sensorial. E isso acarreta pausas, hesitações, paralisação e/ou excessos nos seus movimentos…

Agora, graças ao pensamento único de “Atacar o Agressor” enfatizado no MÉTODO IMOTO você põe um fim àquele conflito interior liberando o potencial combativo dos seus movimentos.

Finalmente a didática para você criar essas habilidades que só alguns mestres possuem está ao seu alcance!

 

A CONCLUSÃO

Pratique os exercícios do MÉTODO IMOTO para reeducar sua postura e seus movimentos e depois teste a si mesma com seus parceiros simulando aquelas situações e cenários de agressão demonstrados nas videoaulas.

Tire suas dúvidas diretamente comigo, reveja o curso e repita o processo outras vezes. Em 3 meses você terá o CORPO FECHADO e será uma nova mulher.

UMA NOVA MULHER SAMURAI!

Melhor coordenação motora, clareza mental, equilíbrio dinâmico e fortalecimento do sistema imunológico ao reduzir e controlar o estresse, são EFEITOS COLATERAIS da prática do MÉTODO IMOTO.

O FOCO É LHE CAPACITAR A PARAR UM AGRESSOR.

Será com essa habilidade que você poderá desfrutar de uma vida segura e saudável.

ADQUIRA O CURSO ONLINE: https://go.hotmart.com/B23790296Y

A seguir uma breve descrição de cada videoaula:

VIDEOAULA 01: Seu Corpo é a Arma

Apresentação do Prof. Luciano Imoto e da instrutora-assistente Flávia Imoto com resumo dos temas abordados nas demais videoaulas, e aviso sobre o potencial destrutivo e aspectos legais do que a Nova Mulher Samurai irá aprender e praticar no curso. Os equipamentos básicos para se exercitar e condicionar o corpo. A importância de usar o próprio peso em vez de músculos isolados e exemplos de seu reaproveitamento nos movimentos e manobras de autodefesa. O que é o Contato Realista e porque este conceito pouco conhecido é a Regra de Ouro das artes marciais. Exemplos de Contato Realista e por que ele garante a segurança no treinamento sem precisar atenuar ou desviar os golpes nem depender da cooperação passiva do parceiro e de regras limitantes.

Material complementar de leitura: baixe o artigo científico ganhador em primeiro lugar no V Simpósio Nacional de Lutas e publicado no livro “Ciência Aplicada às Artes Marciais” em 2018 pela editora OMP.

Artigo complementar: www.academiaimoto.com/imoto-v-simposio-nacional-2018/

 

VIDEOAULA 02: Psicologia do Combate

Explicação da urgência do aprendizado do Método Imoto e a responsabilidade social que tal conhecimento exige. Porque o CEP (Controle do Espaço Peripessoal) é o radar que ativa a artilharia da sua proteção. O contato visual. Os sinais que precedem o perigo. Linguagem corporal subconsciente denunciando o comportamento dissimulado do agressor. O poder do NÃO vocalizado como um Kiai. Porque ser subestimada aumenta suas chances de parar o agressor.

 

VIDEOAULA 03: Condicionamento Marcial 1

O que é e como criar o CORPO FECHADO. Os 3 Formatos de Poder. Sentindo o Ponto Focal na coluna. A origem do poder e do Efeito Sinomotor como subproduto natural do Corpo Fechado. A série de exercícios dos 3 Formatos de Poder: os Arcos-Molas. Usando os halteres. Aplicações dos Arcos-Molas nas manobras de autodefesa.

 

VIDEOAULA 04: Condicionamento Marcial 2

Como evoluir no Método Imoto. O que é o Efeito Sinomotor. A ênfase no movimento espontâneo livre do pensamento e das emoções em conflito. Como praticar o Contato Livre com seus parceiros de treino. Como progredir no curso. A série de exercícios dos 3 Formatos de Poder: as Hélices. Aplicações das Hélices na autodefesa. Os 3 Formatos de Poder na luta à partir do chão. A série de exercícios dos 3 Formatos de Poder: o Giroscópio. Usando a Bola Suíça. Aplicações do Giroscópio nas manobras de autodefesa.

Vídeo complementar demonstrando os exercícios da Série dos Arcos: www.youtube.com/watch?v=QOuaGh-xSLo

 

VIDEOAULA 05: Golpe Traumático 1 Tudo que o Agressor Não Quer que Você Saiba!

Fisiologia do trauma. Os efeitos do trauma sobre os órgãos e áreas vitais do agressor. Como reaproveitar a seu favor as reações do reflexo espinhal do agressor atingido. O exercício do Passo do Espelho Invertido. A arte de criar aberturas no agressor. Como seguir movimentos e redirecioná-los. As armas naturais do corpo e seus alvos: pontas dos dedos. Menção ao conceito de atacar com Apetite e com Aversão. As armas naturais do corpo e os alvos indicados para cada uma delas: calcanhar das mãos, soco martelo, antebraços, cotovelos, cabeçada, stomp (pisão), chute frontal. Nova menção ao Contato Realista. Joelhada com Hélice e Giroscópio na luta próxima. A mordida primal usada como arma. Como fortalecer a mandíbula.

Leitura complementar: www.academiaimoto.com/blog/

 

VIDEOAULA 06: Golpe Traumático 2 Tudo que o Agressor Não Quer que Você Saiba!

Isometria e o golpe alavancado. Revendo a distância entre a defensora e o agressor. Como explodir sem se expôr. Usar os 3 Formatos de Poder para estocar energia no princípio da isometria. Usar pontos de contato no corpo do agressor como alavanca para otimizar os golpes. Manobras sentada, em pé e no chão: agarramento de pulso. O que precede um ataque. Os 3 Formatos de Poder criando o Corpo Fechado aplicado nas manobras. Mitos do livramento de pulsos. Hélice com Contato Realista. Abraço de urso pelas costas e pela frente. O estrangulamento da Gravata e pela frente agarrando e apertando o pescoço. Modelos de manobras contra agarramento com Contato Realista estando encurralada. Double-leg e Single-leg, neutralizando ataques às suas pernas com os 3 Formatos de Poder.

 

VIDEOAULA 07: Golpe Traumático 3 Tudo que o Agressor Não Quer que Você Saiba!

Manobras sentada, em pé e no chão. Os 3 Formatos de Poder para ter mobilidade no chão. Erros comuns da luta a partir do chão. O estrangulamento Mata-Leão em pé e sentado. Os 6 segundos fatais. A Montada, com o agressor sentado sobre seu peito. Como lutar na Guarda, com o agressor entre suas pernas ou você entre as pernas dele. Os 3 Formatos de Poder aplicados.

 

VIDEOAULA 08: As Manobras Proibidas, Mas Não Esquecidas!

Exemplos das manobras que causam lesões graves aplicadas em qualquer posição, extraídas e adaptadas dos golpes usados pelos antigos guerreiros gregos e japoneses. Porque elas foram tiradas dos esportes. Como treinar essas manobras perigosas com segurança. O Pêndulo. O Quebra-Nozes. A Tesoura. Os quadris e pernas, duas partes naturalmente poderosas do corpo, usados como arma de ataque às articulações do agressor. Como combinar o Pêndulo, o Quebra-Nozes e a Tesoura em uma ação contínua nas manobras contra agarramentos diversos. Força de cisalhamento nos golpes de luxação, de fraturar ossos e esmagar órgãos vitais. Combinando o Pêndulo, o Quebra-Nozes e a Tesoura com os 3 Formatos de Poder e os golpes traumáticos nas manobras.

Vídeo complementar: www.youtube.com/watch?v=glwYurrthcc

 

VIDEOAULA 09: Quando o Boxe Encontrou o Tai Chi

Apresentando o exercício do Contato Livre. Porque e como não aceitar a pressão do seu agressor sobre seu esqueleto. A arte sutil de encontrar ângulos para explorar as aberturas do agressor enquanto fecha as suas. A Reação de Espanto como técnica instintiva de absorção de impacto e antecipação de ataques simultâneos. Como você e seus parceiros se exercitarem com fluidez. Mover-se com a leveza serpentina de uma mestra de Tai Chi Chuan, atacar brutalmente como um boxeador peso-pesado, o Yin-Yang da autodefesa da Nova Mulher Samurai. A regra da Aversão e do Apetite, as duas reações naturais do organismo humano. A essência do princípio pragmático e proativo da mentalidade de “Atacar o Agressor” como única intenção e objetivo na sua autodefesa. Exemplos de manobras combativas usando cada uma destas reações fisiológicas em separado e combinadas em sequências livres de movimento contínuo alavancado e com Contato Realista. Apetite e Aversão nos 3 Formatos de Poder para sinergizar os golpes traumáticos. Como treinar com segurança sem perder o realismo. As manobras proibidas aplicadas com o Apetite e a Aversão. O exercício do TAZ (alusão ao personagem do desenho animado que se move como um redemoinho de vento destruindo tudo no caminho): misturando e alternando Apetite com Aversão, e vice-versa. Porque você nunca deveria se agarrar ao agressor, recuar com medo, montar guardas defensivas com os braços, tentar bloqueá-lo ou ficar plantada de frente para ele esperando o ataque.

Canal de vídeos para consulta: www.youtube.com/user/mattkovsky

 

VIDEOAULA 10: Armas Improvisadas

Reconhecendo o arsenal disponível ao seu redor e as regras e táticas para usar estes objetos do seu cotidiano com mais eficiência. Os 3 Formatos de Poder alavancando os ataques empunhando quaisquer objetos. Os melhores alvos para atacar. Modo correto de usar o spray de gengibre. Precauções pouco conhecidas no improviso.

 

BÔNUS: O Segredo do Aço: Defesa Com e Contra Armas Brancas e de Fogo

Nunca tentar “desarmar” o agressor. As razões e as alternativas. Os 3 Formatos de Poder e as manobras proibidas. O foco nos alvos vitais da região da cabeça e para lesionar os cotovelos do agressor enquanto ataca traqueia, púbis, genitais e joelhos simultaneamente. Limitações das armas. Empunhando e usando sua lâmina. Apresentando o PerCor (Perfurar & Cortar), a sub-seção do Método Imoto especializada em armas brancas. Exemplos de manobras diante de ameaça com armas de fogo: sob a mira de frente. A psicologia do assaltante e a do assassino atirador. A diferença entre patrimonial e pessoal. Ações prévias diante do chantagista armado. Nunca tentar abrir a força a mão armada. Os 3 Formatos de Poder aplicados nas manobras e a vocalização no comando usado como golpe verbal. A importância da silhueta de submissão e da percepção da linha de tiro. Usando literalmente a cabeça nas manobras. A arma de fogo também é um martelo. A arte de esconder sua intenção enquanto detecta a localização da arma. Manobras em diversas situações: pelas costas, refém e de execução. O erro fatal mais comum ao lidar com uma ameaça armada. Ataques de faca: táticas para a longa, a média e a curta distância. Erros fatais na defesa contra faca. A faca na garganta: situação de refém e chantagem.

 

OBSERVAÇÃO

Este curso online de instrução remota facilita o acesso ao aprendizado do MÉTODO IMOTO às mulheres nos mais diversos lugares. O propósito original é prepará-la a lutar pela sua vida parando o agressor. Não é formar instrutoras. Neste caso seria indispensável agendar entrevista e aulas presenciais para avaliação e correções personalizadas. Por isso não será emitido diploma ou certificado neste curso. Se você deseja se aprofundar no MÉTODO IMOTO e se graduar como instrutora autorizada a ministrar seu treinamento, um outro módulo de videoaulas com esse objetivo poderá ser lançado futuramente.

ADQUIRA O CURSO ONLINE: https://go.hotmart.com/B23790296Y

Envie um Comentário

Fechar

A Academia Imoto NÃO É uma franquia. Somos uma FAMÍLIA. Nossas principais modalidades e cursos são EXCLUSIVOS e orientados para turmas pequenas e aulas particulares com o objetivo de acelerar resultados com máxima economia de tempo e recursos aos nossos alunos e clientes.

Atendimento

Segunda à Sexta:
08:00 – 20:00

Sábado:
08:00 – 13:00

Siga-nos
Academia